Destaque CCJ

10º PRÊMIO CINECLUBE JACAREÍ - CORVO DE GESSO 2017



FINAL DAS INSCRIÇÕES: 20 DE JULHO DE 2017

FAÇA SUA INSCRIÇÃO CLICANDO NOS LINKS ABAIXO:

FICHA DE INSCRIÇÃO (Clique Aqui)

REGULAMENTO (Clique Aqui)


-CURTA E SIGA O CINECLUBE JACAREÍ E CORVO DE GESSO NAS REDES SOCIAIS:

https://www.facebook.com/CineclubeJacarei/

https://www.facebook.com/CorvoDeGesso/

https://www.youtube.com/user/cineclubejacarei


-Saiba sobre o Cineclube Jacareí

cineclubejacarei@gmail.com

O projeto Cineclube Jacareí existe desde 2007. Com cinco anos de existência, tem uma missão nesta cidade. O dever de repartir com as pessoas o desejo de ver, informar-se e aprender sobre filmes e o cinema.

O inovador projeto Cineclube Jacareí atinge esse ano mais de cento e oitenta sessões do "Cinema de 5ª". Mostrando filmes independentes de cineastas locais e do Brasil. Preparou e entregou mais de cinqüenta estatuetas nas edições do anual "Prêmio Corvo de Gesso". Além de ter produzido centenas de filmes através da "Corvo Produções".

O projeto Cineclube Jacareí é pioneiro na região do Vale do Paraíba. Único grupo de trabalho que realiza a tríplice função no movimento audiovisual: produzir, exibir e premiar os filmes amadores, independentes e feitos em casa. Continuaremos a desfrutar dessa arte.



30 de jun de 2012

168ª Exibição - 28 de junho de 2012

O inverno chegou, assim como a tão esperada “Sessão Diretores” do Cinema de 5ª, que acontece todo final do mês com programação voltada a filmografia de um diretor em especial. O escolhido da vez foi George Lucas, criador de “Star Wars”, agraciado com a exibição de seu primeiro longa-metragem, “THX 1138”, baseado no curta homônimo - também exibido - filmado quando o cineasta ainda estava na faculdade de cinema. E pra espantar de vez o frio, que em nada impediu o bom público que compareceu essa semana, também tivemos o curta “Zé Maria na Folia”, em ritmo de marchinha a obra não só homenageia o falecido patrono da cultura de Jacareí como consegue resgatar um “nome” regional de tamanha importância, inclusive, nacionalmente.
Agnaldo Dias
Dirigido por Sergio Nogueira, o documentário “Zé Maria na Folia” mostra o grupo título que reverencia anualmente o ilustre compositor jacareiense. Criado por Agnaldo Dias, que esteve em pessoa na Sala Mário Lago para prestigiar o trabalho do Cineclube Jacareí, o bloco teve suas imagens captadas e depois contextualizadas com a vida e a obra de José Maria de Abreu, lembrando parcerias famosas, vide Elis Regina, e suas músicas mais conhecidas. Algumas, sabidas “na ponta da língua” até por aqueles que desconheciam o autor, para contentamento dos presentes. Nostalgia saudosa e saborosa que somente ratificou a necessidade de mais peças do tipo, além de ter deixado um gostinho de “quero mais”, principalmente para as novas gerações, que ainda pouco conhecem a contribuição histórica e o enorme talento de Zé Maria.
 
Já com “THX”, pela primeira vez pudermos comparar um curta e seu longa derivado, neste caso, o primeiro filmado em 1967 e o segundo em 1971, este, estrelado por Robert Duvall e remasterizado nesta “versão do diretor” com efeitos especiais de ponta. A experiência deu certo, dando muito subsídio para as opiniões durante o debate.
Os expectadores espertamente notaram nesse debute cinematográfico de Lucas diversas características que podem ser encontradas em suas produções subseqüentes, como “Guerra nas Estrelas”, assim como os longas que beberam dessa fonte e obras referenciais para o próprio. Se propondo a um debate filosófico e social sobre uma sociedade fechada e totalitária, onde as emoções e a individualidade são completamente suprimidas e as massas controladas pelo estado, a película foi muito bem conceituada por sua ousadia, visual e política. Contudo, criou polêmica ao ser mais elogiável nesses quesitos do que no seu valor como entretenimento, por alguns. Sendo considerado segundo eles até maçante em alguns trechos.

Resultado da American Zoetrope, empresa criada por Francis Ford Coppola e George Lucas para servir como uma ponte entre os produtores independentes e Hollywood, “THX 1138” foi a empreitada inicial da casa, mas não foi tão bem recebida nas bilheterias quanto a Warner, financiadora do projeto, gostaria. Na época, as arrecadações haviam caído e mega corporações começaram a assumir os estúdios na bancarrota, ao mesmo tempo, filmes menores feitos por jovens começaram a se destacar, como “Sem Destino”, um sucesso inesperado de bilhetes vendidos. Fazendo com que os executivos olhassem pra nova safra de cineastas para recuperar o terreno perdido quando o antigo sistema, herança da “época de ouro” (décadas de 30/40), entrou em colapso.

“THX” foi uma aposta nesse sentido, mas não obteve a mesma recepção do citado “road movie” de Dennis Hopper, por ser considerado artístico demais e comercial de menos. Mas a lição foi aprendida, pois da Zoetrope e de outras companhias similares saíram uma “turma genial”, com gente do nível de Steven Spielberg, Martin Scorsese, etc. Que juntos com Coppola e Lucas souberam casar ambição artística com “cinema pipoca” nos anos seguintes, criando os “arrasa-quarteirões” que recuperaram o encanto e a capacidade do cinema americano de gerar montantes incríveis de dinheiro, recriando-o como conhecemos atualmente.

Para fechar o evento, tivemos o sorteio do kit com CAIXAS DE SOM p/ MP3 Player (Mini Amplificador), oferecido pela FREESTYLEGAMES. E a feliz vencedora do chamativo prêmio foi a Vânia Abrão. Parabéns pra ganhadora e até a próxima promoção, pessoal!