Destaque CCJ

10º PRÊMIO CINECLUBE JACAREÍ - CORVO DE GESSO 2017



FINAL DAS INSCRIÇÕES: 20 DE JULHO DE 2017

FAÇA SUA INSCRIÇÃO CLICANDO NOS LINKS ABAIXO:

FICHA DE INSCRIÇÃO (Clique Aqui)

REGULAMENTO (Clique Aqui)


-CURTA E SIGA O CINECLUBE JACAREÍ E CORVO DE GESSO NAS REDES SOCIAIS:

https://www.facebook.com/CineclubeJacarei/

https://www.facebook.com/CorvoDeGesso/

https://www.youtube.com/user/cineclubejacarei


-Saiba sobre o Cineclube Jacareí

cineclubejacarei@gmail.com

O projeto Cineclube Jacareí existe desde 2007. Com cinco anos de existência, tem uma missão nesta cidade. O dever de repartir com as pessoas o desejo de ver, informar-se e aprender sobre filmes e o cinema.

O inovador projeto Cineclube Jacareí atinge esse ano mais de cento e oitenta sessões do "Cinema de 5ª". Mostrando filmes independentes de cineastas locais e do Brasil. Preparou e entregou mais de cinqüenta estatuetas nas edições do anual "Prêmio Corvo de Gesso". Além de ter produzido centenas de filmes através da "Corvo Produções".

O projeto Cineclube Jacareí é pioneiro na região do Vale do Paraíba. Único grupo de trabalho que realiza a tríplice função no movimento audiovisual: produzir, exibir e premiar os filmes amadores, independentes e feitos em casa. Continuaremos a desfrutar dessa arte.



30 de jun de 2012

168ª Exibição - 28 de junho de 2012

O inverno chegou, assim como a tão esperada “Sessão Diretores” do Cinema de 5ª, que acontece todo final do mês com programação voltada a filmografia de um diretor em especial. O escolhido da vez foi George Lucas, criador de “Star Wars”, agraciado com a exibição de seu primeiro longa-metragem, “THX 1138”, baseado no curta homônimo - também exibido - filmado quando o cineasta ainda estava na faculdade de cinema. E pra espantar de vez o frio, que em nada impediu o bom público que compareceu essa semana, também tivemos o curta “Zé Maria na Folia”, em ritmo de marchinha a obra não só homenageia o falecido patrono da cultura de Jacareí como consegue resgatar um “nome” regional de tamanha importância, inclusive, nacionalmente.
Agnaldo Dias
Dirigido por Sergio Nogueira, o documentário “Zé Maria na Folia” mostra o grupo título que reverencia anualmente o ilustre compositor jacareiense. Criado por Agnaldo Dias, que esteve em pessoa na Sala Mário Lago para prestigiar o trabalho do Cineclube Jacareí, o bloco teve suas imagens captadas e depois contextualizadas com a vida e a obra de José Maria de Abreu, lembrando parcerias famosas, vide Elis Regina, e suas músicas mais conhecidas. Algumas, sabidas “na ponta da língua” até por aqueles que desconheciam o autor, para contentamento dos presentes. Nostalgia saudosa e saborosa que somente ratificou a necessidade de mais peças do tipo, além de ter deixado um gostinho de “quero mais”, principalmente para as novas gerações, que ainda pouco conhecem a contribuição histórica e o enorme talento de Zé Maria.
 
Já com “THX”, pela primeira vez pudermos comparar um curta e seu longa derivado, neste caso, o primeiro filmado em 1967 e o segundo em 1971, este, estrelado por Robert Duvall e remasterizado nesta “versão do diretor” com efeitos especiais de ponta. A experiência deu certo, dando muito subsídio para as opiniões durante o debate.
Os expectadores espertamente notaram nesse debute cinematográfico de Lucas diversas características que podem ser encontradas em suas produções subseqüentes, como “Guerra nas Estrelas”, assim como os longas que beberam dessa fonte e obras referenciais para o próprio. Se propondo a um debate filosófico e social sobre uma sociedade fechada e totalitária, onde as emoções e a individualidade são completamente suprimidas e as massas controladas pelo estado, a película foi muito bem conceituada por sua ousadia, visual e política. Contudo, criou polêmica ao ser mais elogiável nesses quesitos do que no seu valor como entretenimento, por alguns. Sendo considerado segundo eles até maçante em alguns trechos.

Resultado da American Zoetrope, empresa criada por Francis Ford Coppola e George Lucas para servir como uma ponte entre os produtores independentes e Hollywood, “THX 1138” foi a empreitada inicial da casa, mas não foi tão bem recebida nas bilheterias quanto a Warner, financiadora do projeto, gostaria. Na época, as arrecadações haviam caído e mega corporações começaram a assumir os estúdios na bancarrota, ao mesmo tempo, filmes menores feitos por jovens começaram a se destacar, como “Sem Destino”, um sucesso inesperado de bilhetes vendidos. Fazendo com que os executivos olhassem pra nova safra de cineastas para recuperar o terreno perdido quando o antigo sistema, herança da “época de ouro” (décadas de 30/40), entrou em colapso.

“THX” foi uma aposta nesse sentido, mas não obteve a mesma recepção do citado “road movie” de Dennis Hopper, por ser considerado artístico demais e comercial de menos. Mas a lição foi aprendida, pois da Zoetrope e de outras companhias similares saíram uma “turma genial”, com gente do nível de Steven Spielberg, Martin Scorsese, etc. Que juntos com Coppola e Lucas souberam casar ambição artística com “cinema pipoca” nos anos seguintes, criando os “arrasa-quarteirões” que recuperaram o encanto e a capacidade do cinema americano de gerar montantes incríveis de dinheiro, recriando-o como conhecemos atualmente.

Para fechar o evento, tivemos o sorteio do kit com CAIXAS DE SOM p/ MP3 Player (Mini Amplificador), oferecido pela FREESTYLEGAMES. E a feliz vencedora do chamativo prêmio foi a Vânia Abrão. Parabéns pra ganhadora e até a próxima promoção, pessoal!

29 de jun de 2012

Empreendedorismo e administração da cultura cinematográfica

O projeto Cineclube Jacareí foi certificado na semana passada como empreendedores da cultura pelos alunos do curso de administração da Univap Urbanova, em São José dos Campos. As funções que o projeto exerce – produzir, exibir e premiar filmes caseiros e independentes – foram reconhecidas por dar continuidade à indústria cinematográfica.

Segundo Evanize Visigalli, professora do curso de administração, orientar os alunos a buscarem exemplos de empreendedorismo cultural contribui para a educação e formação no aspecto pragmático da área acadêmica.
O Cineclube Jacareí foi convidado para falar sobre o projeto, suas atividades e realizações nestes cinco anos de vida. Como incitar o audiovisual em técnicas artísticas e manter um grupo de pessoas dedicadas num trabalho sem fins lucrativos.

O Cineclube Jacareí pode experimentar o que sentem os gratos pelo que faz. Os alunos do curso, representados por Bruna Gasetta, Daniel Guedes, Renata Pena e Wesley Dias, dispuseram recompensa ao que o projeto está proposto a continuar fazendo pelos próximos cinco anos.

Encarado pelos membros como uma homenagem ao projeto, agradeceu-se a “abertura de apresentar o pensamento ideológico por trás da tríplice função cinematográfica que temos como missão: fazer filmes, mostrar os filmes e reconhecer os melhores trabalhos com um prêmio digno.” Disse Wellybh Machado, presidente do Cineclube Jacareí.

25 de jun de 2012

167ª Exibição - 21 de junho de 2012

Cinema de 5ª

Quanta chuva! Meu Deus! Mas, isto favoreceu o clima da sessão que foi muito terrível e arrepiante. Começando com “Afogando as Mágoas” (Dir. Dimitri Kozma). Com atuação de Geisla Fernandes, o curta metragem se passa em um apartamento, com uma jovem donzela a espera de algo. Não estando em seus melhores dias, acaba se entregando a uma banheira cheia.
O público feminino não concorda que as mulheres não esperam e nem se preparam tanto assim, mas metáforas a parte, todos concordam que tecnicamente o filme teve um ótimo acabamento.

Pra terminar a noite, “Colheita Maldita” (Dir. Fritz Kiersch), um clássico do terror trash de 1984, baseado na obra de Stephen King, conta que numa pequena aldeia do interior dos Estados Unidos, crianças macabras resolveram cultivar milho usando o sangue de adultos como adubo, e um casal que estava de passagem, acabam ficando presos no local e se envolvendo neste ritual demoníaco.
No debate, as pessoas concluíram através deste filme, o quanto que na guerra fria, os norte-americanos tinham medo da ameaça comunista. Com Linda Hamilton (Exterminador do Futuro I e II) no elenco. O ganhador da noite do “Vale Pizza” do “Xico Pizza”, foi Giuliano Murgulo.

Forte abraço.

17 de jun de 2012

166ª Exibição - 14 de junho de 2012

Nessa semana voltamos a ter o Cinema de 5ª na Sala Mário Lago, Pátio dos Trilhos (Centro de Jacareí), após deslocados quinta passada por causa de reparos emergenciais no local, mas novamente no conforto “de casa” o público já habituado com nossas sessões relaxou e acompanhou mais uma exibição do Cineclube Jacareí.
Pra começar tivermos a apresentação de "Depois dos 40" de autoria de Adriano Pinheiro com apoio de Sergio Nogueira e Wellybh Machado, colegas de Corvo Produções. O “curta minuto” foi bem recebido pelo teor crítico e por sua experta brincadeira com a neurose de medicamentos que vamos acumulando depois da meia-idade, mostrando (de forma não-linear) um armário cheio de frascos sendo arrumado e bagunçado em frente a lembranças de uma vida toda, conceituando a questão da preocupação com a saúde e do peso desse extenuante cotidiano que herdamos com os anos, o que chamou a atenção do público. Seu maior mérito talvez tenha sido mostrar muito em meros 60 segundo de filme, algo muito difícil de ser conseguido.

Depois veio o longa-metragem “Alien - O 8º Passageiro” (1979), filme de Ridley Scott que foi programado para chegar junto de seu prólogo, "Prometheus", atualmente em cartaz nos cinemas. A película agradou os presentes, mostrando que bons filmes resistem ao tempo, e apesar dos efeitos terem envelhecidos claramente, a obra permanece tensa e assustadora, com um ótimo trabalho de câmera e fotografia que valoriza a sensação de suspense e claustrofobia.

Scott espertamente construiu uma narrativa exemplar dentro do gênero, ambientando a história em um local completamente inóspito, isolado (o espaço sideral) e escondendo do expectador a personagem principal até o fim, fazendo, assim, com que todos os tripulantes da nave Nostromo fossem potenciais vítimas do monstro alienígena que a invade. Aliás, o visual do famoso “Alien” desenhado por H.R.Giger não é considerado icônico por acaso, permanecendo maravilhoso até hoje - e a produção se aproveita da temática de ficção científica para construir uma criatura menos fantasiosa e muito mais realista, desenvolvendo todo um conjunto de explicações biológicas críveis para seu desenvolvimento. Tornando-a ainda mais ameaçadora.
Após o debate, como está se tornando uma tradição em nossos eventos, foi sorteado um “Vale Pizza” gentilmente cedido pelo parceiro “Xico Pizza”. E a vencedora da vez foi a Teresinha Sueli, que levou feliz o delicioso prêmio pra casa.

Para finalizar, lembramos que o Cineclube Jacareí está de parceria com o Claquete Virtual no intuito de trazer matérias e críticas sobre o audiovisual. Assim, já está online o texto sobre "Prometheus", o tão esperado retorno de Ridley Scott a saga “Alien”. Não deixem de conferir mais essa novidade!

11 de jun de 2012

165ª Exibição - 07 de Junho de 2012


Apesar do feriado e num lugar totalmente improvisado, ou seja, na Diretoria de Cultura (Antiga Estação Ferroviária), devido as reformas emergenciais na Sala Mário Lago, o público foi consideravelmente bom.
A sessão inicia com o curta-metragem “Desencontros” (Dir. Rogério CP). Na sinopse - dois amigos de infância inseparáveis brigam e ficam quarenta anos sem falar um com o outro até se encontrarem em um supermercado. Foi muito elogiado no debate, porém teve alguns conflitos comentados pelo público na produção. Com flash back na juventude dos personagens (até rola a trilha sonora do seriado Anos Incríveis), a idade contextualizada remota serem mais velhos do que deveriam.

O longa-metragem, em homenagem ao “Dias dos Namorados” - Coisas de Meninos e Meninas (Dir. Nick Hurran), ele e ela sempre foram vizinhos e sempre pegaram no pé um do outro, até que um dia trocam de personalidade como num passe de mágica e passam a sentir na pele o que o outro é.

Todos concordaram que Se Eu Fosse Você (Dir. Daniel Filho) foi baseado nessa película. O sorteado da semana que levou o “Vale Pizza”, do “Xico Pizza”, foi Níkolas Araújo . Até mais!

1 de jun de 2012

164ª Exibição - 31 de maio de 2012

Sessão Diretores

A sessão de ontem foi muito especial. Tivemos a presença do ganhador do Corvo de Gesso 2011 categoria “No Ar” Wagner Moloch para receber seu troféu atrasado. E debater a produção “Liberdade” (Dir. Wagner Moloch) surreal e experimental.

Um homem que se liberta de sua prisão. O curta-metragem, segundo o seu diretor, foi filmado num local destruído e abandonado. Hoje restaurado pertence ao complexo da fundação cultural de São José dos Campos e sua intenção seria de causar uma sensação de libertação nas pessoas que assistem ao filme. 

Bem elogiado entre os presentes, principalmente na questão entre o casamento perfeito que a produção tomou cuidado, em conciliar os efeitos sonoros, condizentes com as imagens o filme apresenta conceito em seus efeitos visuais.


O longa-metragem da noite – “Platoon” (Dir. Oliver Stone), película ganhadora do Oscar de “Melhor Filme” em 1986.
Em forma quase documental (especialidade deste diretor) evidência a narrativa de um jovem idealista chamado Chris Taylor (Charlie Sheen), que abandona sua carreira universitária e vai participar na linha de combate no Vietnã. Mas ele percebe sua ingenuidade ante a guerra, logo perdida quando vê a violência gratuita que seus colegas cometem contra civis. Os sargentos Barnes (Tom Berenger) e Elias (Willem Dafoe) são seus superiores imediatos. Ele se identifica com o segundo e se une a ele numa luta interna contra o facínora Barners.O elenco também conta com Forest Whitaker, Johnny Depp e Corey Glover (vocalista da banda Living Colors).

O ganhador do “Kit Perfumaria” fornecido pela “Drogaria Econômica” foi o Sr. Adriano Pinheiro. Até mais!