Destaque CCJ

10º PRÊMIO CINECLUBE JACAREÍ - CORVO DE GESSO 2017



FINAL DAS INSCRIÇÕES: 20 DE JULHO DE 2017

FAÇA SUA INSCRIÇÃO CLICANDO NOS LINKS ABAIXO:

FICHA DE INSCRIÇÃO (Clique Aqui)

REGULAMENTO (Clique Aqui)


-CURTA E SIGA O CINECLUBE JACAREÍ E CORVO DE GESSO NAS REDES SOCIAIS:

https://www.facebook.com/CineclubeJacarei/

https://www.facebook.com/CorvoDeGesso/

https://www.youtube.com/user/cineclubejacarei


-Saiba sobre o Cineclube Jacareí

cineclubejacarei@gmail.com

O projeto Cineclube Jacareí existe desde 2007. Com cinco anos de existência, tem uma missão nesta cidade. O dever de repartir com as pessoas o desejo de ver, informar-se e aprender sobre filmes e o cinema.

O inovador projeto Cineclube Jacareí atinge esse ano mais de cento e oitenta sessões do "Cinema de 5ª". Mostrando filmes independentes de cineastas locais e do Brasil. Preparou e entregou mais de cinqüenta estatuetas nas edições do anual "Prêmio Corvo de Gesso". Além de ter produzido centenas de filmes através da "Corvo Produções".

O projeto Cineclube Jacareí é pioneiro na região do Vale do Paraíba. Único grupo de trabalho que realiza a tríplice função no movimento audiovisual: produzir, exibir e premiar os filmes amadores, independentes e feitos em casa. Continuaremos a desfrutar dessa arte.



17 de set de 2008

À Meia Noite Levarei Sua Alma

Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver

Encarnação do Demônio - Trailer

Encarnação do Demônio



José Mojica Marins marca seu retorno protagonizando e dirigindo Encarnação do Demônio, encerrando uma trilogia iniciada por À Meia-Noite Levarei sua Alma, de 1964, e Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver, de 1967. Após 30 anos preso numa cela para doentes mentais, Zé do Caixão é finalmente libertado. Novamente em contato com as ruas, o sádico coveiro está decidido a cumprir a mesma meta que o levou preso: encontrar a mulher que possa lhe gerar um filho perfeito. Em seu caminho pela cidade de São Paulo, deixa um rastro de horror, enfrentando leis não naturais e crendices populares.

12 de set de 2008

38ª Sessão (11/09/2008)

Olá estou aqui mais uma vez sempre mostrando o que rolou na semana nas sessões do Cineclube Jacarei

Exibimos os curtas:

"Beijo de Cinema"
Dir. Oficina de Cinema do 2º Festival de Cinema e Meio Ambiente de Guararema



"É Tosco mas é Verdade"
Dir. Oficina Produtor e Produção Walmeri Ribeiro



E o trailer de "Jacktown Chan", a nova série do Cineclube Jacareí



E em seguida exibimos o filme "Nacho Libre"
Dir. Jared Hess



Nossas sessões sempre acontecem todas quintas-feiras apartir das 19:00 horas na Sala Mario Lago, localizado no Pátio dos Trilhos.

Até a próxima!

6 de set de 2008

Uso Atual

Hoje, o termo Filme B passou a ser usado para se referir a qualquer filme comercial de baixo orçamento, com atores pouco conhecidos ou em decadência. Esses filmes podem ser malfeitos em muitos casos, mas ainda assim se distinguem dos chamados Filmes Z, por serem produzidos profissionalmente e pela sua viabilidade comercial. Fãs de filmes B afirmam que orçamentos mais limitados e menor ingerência dos estúdios podem ajudar a gerar uma energia não encontrada em superproduções. Isso foi verdade especialmente nos anos que se seguiram à Segunda Guerra Mundial. Enquanto filmes caros, como O Maior Espetáculo da Terra (The Greatest Show on Earth, 1952, Paramount) e A Volta ao Mundo em Oitenta Dias (Around the World in Eighty Days, 1956, United Artists) eram convencionais e sem criatividade, filmes B como O Monstro do Ártico (The Thing From Another World, 1951) e Veio do Espaço (It Came From Outer Space, 1953) possuiam energia e originalidade. Muitos filmes B, especialmente nas áreas de ficção científica e horror, ainda são muito populares.

Uma das produtoras clássicas de filmes B era a americana American Internation Pictures (AIP), fundada em 1956 por James H. Nicholson e Samuel Z. Arkoff. Entre os filmes da produtora estavam os trabalhos de Roger Corman, Vincent Price, Herman Cohen e os primeiros dos então desconhecidos Francis Ford Coppola, Martin Scorcese, Robert De Niro e Jack Nicholson. Na década de 1970, produtoras como a Independent-International Pictures, Film Ventures International, Charles Band Productions, Cannon Films, New Line Cinema, Golan-Globus, entre outras, partiram para a criação de uma nova geração de filmes B.

A maior parte dessas companhias foi incapaz de sobreviver aos anos 1980, já que até mesmo um filme a princípio modesto, com imagem de baixa qualidade, acabaria por consumir milhões de dólares, tendo em vista as expectativas do público quanto aos efeitos especiais, trilhas sonoras, bitolas etc.

Roger Corman

Roger Corman é conhecido como o "Rei dos Bs", apesar do título ser tecnicamente impreciso. Na página 36 de seu livro How I Made 100 Movies in Hollywood and Never Lost a Dime (Como Eu Fiz 100 Filmes em Hollywood sem Perder um Tostão), ele fala sobre sua reputação de fazer filmes B, e diz: "no meu modo de pensar, eu nunca fiz um filme B na minha vida". Ele prossegue dizendo que filmes B foram um fenômeno só no iníco da década de 1950. De acordo com Corman, "Os Bs morreram quando eu comecei a dirigir". Roger Corman descreve seus filmes como "filmes de exploração de baixo orçamento".

Seriados

Os seriados (serials, em inglês) foram um tipo de filme B com várias características próprias.

* Cada seriado tinha entre dez e quinze epísódios;
* Cada episódio durava entre quinze e vinte minutos e era exibido nas matinês de sábado. O final sempre mostrava uma situação de perigo, o chamado "gancho" (cliffhanger), para obrigar o espectador a voltar na semana seguinte;
* Segundo o estudioso William C. Cline, em In The Nick Of Time: Motion Picture Sound Serials (citado por A C. Gomes de Mattos em A Outra Face de Hollywood: Filme B, pág. 27), os ingredientes obrigatórios de um seriado eram: um Herói, com quem a platéia podia se identificar; uma Heroína, bonita e vulnerável; um Vilão, ameaçador e cruel; seus Capangas; um Prêmio, ardorosamente desejado pelo vilão: um mapa, um documento secreto, uma arma, uma fórmula química etc; e os Perigos, diabolicamente concebidos, insidiosamente perpretrados, destrutivamente fatais e aparentemente inescapáveis;
* Assuntos, temas e personagens recorrentes incluiam: aventuras nas selvas, viagens interplanetárias, super-heróis dos quadrinhos, invasões por discos voadores, a Polícia Montada canadense, agentes secretos, o "perigo oriental", foras-da-lei (principalmente Jesse James), o FBI, mocinhos e bandidos mascarados, pilotos de aviões e a Guarda Costeira estadunidense. Segundo o autor A. C. Gomes de Mattos, "era um mundo fantástico de cidades perdidas e tesouros escondidos, passagens secretas e armadilhas traiçoeiras, perseguições eletrizantes e perigos fatais, vilões misteriosos e heróis mascarados -- puro escapismo, sim, mas irresistível";
* Apesar de ter existido desde os tempos do cinema mudo, o seriado teve sua fase áurea nas décadas de 1930 e 1940. Entre 1929 e 1956 foram produzidos duzentos e trinta e um desses filmes B, a maioria nos estúdios da Republic, Columbia e Universal;
* O primeiro seriado sonoro foi O Ás da Scotland Yard (The Ace Of Scotland Yard, 1929, Universal), com dez episódios. Nele, o Herói Inspetor Blake, interpretado por Crawford Kent, enfrenta mil Perigos ao combater a Vilã Rainha dos Diamantes, que planeja roubar um precioso anel (o Prêmio), por sorte pertencente à sua noiva, a Heroína;
* Já o último a ser produzido foi Prisioneiros das Selvas (Perils of the Wilderness, 1956, Columbia), com quinze episódios estrelados por Dennis Moore. Apesar do título sugerir um cenário africano ou amazônico, trata-se de um faroeste com aventuras da Polícia Montada no noroeste do Canadá.

Grandes seriados

* A Deusa de Joba (Darkest Africa, 1936, Republic, quinze episódios); aventuras na selva com Clyde Beatty
* O Império Submarino (Undersea Kingdom, 1936, Republic, doze episódios); ficção-científica com Ray Corrigan
* Dick Tracy, O Detetive (Dick Tracy, 1937, Republic, quinze episódios); aventuras com o personagem dos quadrinhos sendo interpretado por Ralph Byrd
* A Sorte de Tim Tyler (Tim Tyler's Luck, 1937, Universal, doze episódios); aventuras na selva com Frankie Thomas
* Aliado Misterioso (The Painted Stallion, 1937, Republic, doze episódios); faroeste com Ray Corrigan
* Flash Gordon (Flash Gordon, 1938, Universal, quinze episódios); aventuras interplanetárias com o herói criado por Alex Raymond sendo interpretado por Larry "Buster" Crabbe
* Demônios Do Círculo Vermelho (Daredevils Of The Red Circle, 1939, Republic, doze episódios); policial com Herman Brix
* A Legião do Zorro (Zorro's Fighting Legion, 1939, Republic, doze episódios); capa-e-espada com Reed Hadley
* O Misterioso Dr. Satã (Mysterious Dr. Satan, 1940, Republic, quinze episódios); ficção-científica com Eduardo Cianelli
* O Rei da Polícia Montada (King Of The Royal Mounted, 1940, Republic, doze episódios); aventuras no Canadá com Allan "Rocky" Lane
* Os Tambores de Fu Manchu (Drums Of Fu Manchu, 1940, Republic, quinze episódios); aventuras no Oriente com o personagem criado por Sax Rohmer sendo interpretado por Henry Brandon
* Terry E Os Piratas (Terry And The Pirates, 1940, Columbia, quinze episódios); aventuras na selva com os personagens criados por Milton Caniff em 1934. Estrelam William Tracy e Granville Owen
* A Filha Das Selvas (Jungle Girl, 1941, Republic, quinze episódios); aventuras na selva com Frances Gifford
* O Homem De Aço (The Adventures Of Captain Marvel, 1941, Republic, doze episódios); aventuras com o super-herói sendo interpretado por Tom Tyler
* Os Perigos de Nyoka (Perils Of Nyoka, 1942, Republic, quinze episódios); aventuras na selva com Kay Aldridge
* O Terror Dos Espiões (Spy Smasher, 1942, Republic, doze episódios); espionagem com Kane Richmond
* Aventuras de Chico Viramundo (Adventures Of Smilin' Jack, 1943, Universal, treze episódios); aventuras no Oriente com Tom Brown
* O Fantasma Voador (The Phantom, 1943, Columbia, quinze episódios); aventuras do herói dos quadrinhos sendo interpretado por Tom Tyler
* O Maravilhoso Mascarado (The Masked Marvel, 1943, Republic, doze episódios); espionagem com David Bacon
* O Dragão Negro (G-Men vs. The Black Dragon, 1943, Republic, quinze episódios); espionagem com Rod Cameron
* Capitão América, O Vencedor (Captain America, 1944, Republic, quinze episódios); aventuras com o super-herói sendo interpretado por Dick Purcell
* O Super-Homem (Superman, 1948, Columbia, quinze episódios); aventuras com o super-herói sendo interpretado por Kirk Alyn
* O Homem Foguete (King Of The Rocket Men, 1949, Republic, doze episódios); ficção-científica com Tristram Coffin

Séries

* Muitos filmes B transformaram-se em séries por possuirem um grupo de personagens, música e ambientação que eram sempre os mesmos. No entanto, diferentemente de um seriado (serial), uma série (series, em ingês) tinha uma duração de sessenta a setenta minutos (chegando a se estender por até noventa em alguns casos) e cada um de seus filmes contava sempre uma história completa;
* Em maior ou menor grau, todos os estúdios investiram em séries, que, entre 1940 e 1941, representaram mais de dez por cento de tudo que Hollywood produziu. As mais bem cuidadas eram as dos estúdios da MGM;
* Os fãs escreviam para os personagens mais populares, e não para os atores. Andy Hardy, interpretado por Mickey Rooney em quinze filmes, dava conselhos a adolescentes. O Dr. Christian (feito por Jean Hersholt em seis fitas) recebia visitas de médicos das cidades do interior;
* Se o intérprete principal de uma série não estava agradando, ele era sumariamente substituído por outro; se o público começava a se cansar do personagem, seu nome era retirado dos títulos dos filmes, dando-se à série uma última oportunidade de continuar. Outro sinal de que uma série estava com os dias contados era quando um estúdio cedia seus direitos para outro (isso aconteceu, por exemplo, com o Tarzan de Johnny Weissmuller, que saiu da Metro e foi para a RKO).
* O formato migrou para a televisão na década de 1950, sendo que muitas de suas características continuam em vigor.

Séries policiais

Foram produzidas cerca de quarenta séries policiais. As mais significativas foram as seguintes:

* Bulldog Drummond - Paramount, sete filmes entre 1937 e 1939; estrelada por John Howard
* Charlie Chan - quarenta e quatro filmes entre 1931 e 1949; Warner Oland fez os primeiros dezesseis, Sidney Toler os vinte e dois seguintes e Roland Winters os seis restantes; a série começou na 20th Century-Fox, onde ficou até 1941; de 1944 em diante, passou para a Monogram
* Ellery Queen - Columbia, sete filmes, entre 1940 e 1942; Ralph Bellamy estrelou os quatro primeiros e William Gargan os três últimos
* O Falcão - dezesseis filmes, entre 1941 e 1949; a RKO produziu treze fitas até 1946, com George Sanders nas quatro primeiras e seu irmão Tom Conway nas nove seguintes; em seguida, a Film Classics produziu as três últimas, com John Calvert no papel do herói
* Michael Shayne - doze filmes entre 1940 e 1947; a Fox produziu sete filmes até 1942, com Lloyd Nolan; a partir de 1946, a PRC fez os outros cinco, com Hugh Beaumont
* Mr. Moto - Fox, oito filmes entre 1937 e 1939; estrelada por Peter Lorre
* Mr. Wong - Monogram, seis filmes entre 1938 e 1941; Boris Karloff estrelou os cinco primeiros e Keye Luke o último
* Perry Mason - Warner, seis filmes entre 1934 e 1937; Warren William estrelou os quatro primeiros e Ricardo Cortez e Donald Woods, o quinto e o sexto, respectivamente
* O Santo - RKO, nove filmes entre 1938 e 1954; Louis Hayward estrelou todos, exceto o penúltimo, que teve Hugh Sinclair no papel do famoso ladrão
* Sherlock Homes - quatorze filmes, entre 1939 e 1946, todos estrelados por Basil Rathbone (Sherlock Holmes) e Nigel Bruce (Dr. Watson); a Fox fez os dois primeiros e a Universal, os doze restantes
* The Thin Man - MGM, seis filmes entre 1934 e 1947; estrelados por William Powell e Myrna Loy, como Nick e Nora Charles

Séries de outros gêneros

Apesar da predominância do gênero policial, também foram feitas séries cômicas, "de selva", românticas, médicas etc. As mais importantes:

* Andy Hardy - MGM, comédia, quinze filmes entre 1938 e 1948; estrelada por Mickey Rooney
* Blondie - Columbia, comédia, vinte e oito filmes entre 1938 e 1950; conhecida no Brasil como Florisbela; estrelada por Penny Singleton
* Bomba - Monogram, aventuras na selva, doze filmes entre 1949 e 1955; estrelada por Johnny Sheffield, o Boy dos filmes de Tarzan com Johnny Weissmuller
* Bowery Boys - Columbia, comédia, quarenta e oito filmes entre 1946 e 1958; conhecida no Brasil como Os Anjos ou Os Anjos de Cara Suja; estrelada por Leo Gorcey, David Gorcey, Huntz Hall e outros
* Cisco Kid - faroeste, vinte filmes de 1939 a 1950; seis produções da Fox, até 1941, estreladas por Cesar Romero; nove da Monogram, entre 1945 e 1947, estreladas por Duncan Renaldo (as três primeiras) e Gilbert Roland (as restantes); cinco produções na United Artists, em 1949 e 1950, estreladas por Gilbert Roland
* Dr. Kildare - MGM, drama médico, quinze filmes entre 1938 e 1947; estrelada por Lew Ayres até 1942; com sua saída, o personagem principal passou a ser Dr. Gillespie, interpretado por Lionel Barrymore, mas a série continuou com o mesmo nome
* Francis - Universal, comédia, sete filmes entre 1949 e 1956; estrelada por Donald O'Connor (seis primeiras produções) e Mickey Rooney (a última); Francis era um burro falante e sua voz foi feita por Chill Wills, substituído por Paul Frees no último filme
* Joe Palooka - Monogram, boxe, onze filmes de 1946 a 1951; conhecida no Brasil como Joe Sopapo; estrelada por Joe Kirkwood
* Jungle Jim - Columbia, aventuras na selva, dezesseis filmes de 1948 a 1955; conhecida no Brasil como Jim das Selvas; estrelada por um envelhecido e obeso Johnny Weissmuller
* Ma And Pa Kettle - Universal, comédia, nove filmes de 1949 a 1957; estrelada por Marjorie Main e Percy Kilbridge
* Maisie - MGM, romance e aventura, dez filmes entre 1939 e 1947; estrelada por Ann Sothern

Faroestes B

A maioria dos filmes B dos anos 1930 e de boa parte da década seguinte era composta por faroestes. A história do faroeste B se confunde com a própria história do faroeste em geral. Já em 1908 surgiu aquele que é considerado o primeiro herói dos faroestes: Broncho Billy, interpretado por G. M. Anderson em Broncho Billy and the Baby (e depois em diversos outros filmes). Seguiram-se William S. Hart, Hoot Gibson, Tom Mix, Lane Chandler, Buddy Roosevelt e muitos outros. No entanto, esses ainda eram tempos do cinema mudo e nem todos os filmes desses atores se encaixavam no que usualmente se classifica como faroeste B. A partir do cinema falado, no entanto, Bob Steele, Buck Jones, Tom Tyler, Tim McCoy, Ken Maynard e outros passaram a estrelar faroestes cujos orçamentos eram inferiores a cinqüenta mil dólares, duravam entre cinquenta e sessenta minutos, privilegiavam a ação e eram produzidos principalmente pelos estúdios do Poverty Row. Estava assim estabelecida a fórmula do faroeste B, que reinou absoluto nos anos 1930 e, com menor intensidade, também nos anos 1940. No entanto, com o aumento dos custos, o fantasma da cada vez mais onipresente televisão e a falta de visão dos estúdios (que não conseguiram descobrir caras novas e ao mesmo tempo carismáticas), ele sucumbiu juntamente com todas as outras formas de filmes B. O último faroeste B produzido foi Pistoleiro por Equívoco (Two Guns and a Badge), com Wayne Morris, em 1954. Antigos astros, como Gene Autry e Roy Rogers se refugiaram na televisão; outros amargaram o esquecimento, juntaram-se a circos itinerantes ou foram aproveitados como coadjuvantes por Hollywood.

Outros grandes nomes do faroeste B são os cowboys Johnny Mack Brown, William Boyd (Hopalong Cassidy), Tim Holt, Allan "Rocky" Lane, Charles Starrett (Durango Kid), Rex Allen, Monte Hale etc.

Vários astros do cinema iniciaram suas carreiras nesses pequenos filmes: John Wayne fez inúmeros faroestes B, inclusive com o trio Western The Three Mesquiteers, antes de estrelar No Tempo das Diligências (Stagecoach, 1939), de John Ford; Rita Hayworth, com o nome de Rita Cansino, esteve em fitas de Tom Keene (Rebelião/Rebellion, 1936 e Traição/Old Louisiana, 1937) , The Three Mesquiteers (Soberanos da Sela/Hit the Saddle, 1937) e do cowboy cantor Tex Ritter (Confusão no Texas/Trouble in Texas, 1937); Robert Mitchum iniciou a carreira fazendo papel de bandido no filme A Trilha Solitária (The Lone Star Trail, 1943) da série de Johnny Mack Brown e em sete produções da série com Hopalong Cassidy. Todavia, o contrário também ocorreu: enquanto estrelava seus modestos faroestes, Tim Holt interpretava papéis de destaque em filmes importantes como Soberba (The Magnificent Ambersons, 1942), de Orson Welles, Paixão de Fortes (My Darling Clementine, 1946), de John Ford e O Tesouro de Sierra Madre (The Treasure of the Sierra Madre, 1948), de John Huston, entre outros.

Filmes B

O termo Filme B foi usado originalmente para se referir a filmes de Hollywood destinados a serem a "outra metade" de uma sessão dupla, que geralmente apresentava dois filmes do mesmo gênero (faroeste, gangsters ou horror).

Nos tempos dos maiores estúdios de cinema, essa terminologia era oficialmente usada para este fim, que também forneceu a nomenclatura de atores "A" ou "B" (por exemplo, Ronald Reagan, o 40º presidente dos Estados Unidos, fez carreira atuando em filmes B). As principais produtoras tinham unidades próprias para esse tipo de filme, mas também havia pequenos estúdios como PRC, Consolidated, Ajax, Mascot, Puritan, Monogram, Principal etc, que se especializaram em fazer filmes B. Esses estúdios eram referidos como pertencentes ao Poverty Row (Cinturão de Pobreza), termo usado para designar coletivamente as companhias localizadas numa região de Hollywood chamada Gower Street, que produziam filmes com orçamentos extremamente reduzidos. Um estúdio do Poverty Row era capaz de rodar um faroeste de uma hora em apenas dois dias e meio, gastando somente oito mil dólares! Vários desses estúdios, entre eles Mascot e Monogram, fundiram-se em 1934 e formaram a Republic Pictures. Apesar de ter produzido alguns filmes de orçamento considerável, a Republic nunca perdeu a fama de estúdio de segunda classe, mesmo porque ela foi a rainha dos filmes B. O fim da chamada "Era de Ouro de Hollywood", que se estendeu dos anos 1920 até os anos 1950, resultou não só no fechamento dessas companhias como também no fim dos próprios filmes B, independentemente de terem sido produzidos por grandes ou pequenos estúdios. A maior parte dos cinemas 'drive-in' fechou, e as exibições duplas rarearam. Hoje a distinção entre Filme Classe A e Filme B é feita levando-se em conta outros critérios, além do orçamento.
Índice

37ª Sessão - Aniversário de 1 ano do Cineclube Jacareí


O Cineclube comemorou seu aniversário de um ano com uma sessão diferente, com direito a uma pipoquinha e a distribuição do Fanzine "No Bico do Corvo".

Parabens Trash Cineclube Jacareí


37ª Sessão (04/09/08)

Curtas exibidos

"Série Microbiografia - Nero de Deus"


"A Pedra e o Lago"


Longa exibido

"Corvos"

36ª Sessão (28/08/08)

Na 36ª Sessão foi exibido o curta "Queluz" do Projeto Kinema
e logo em seguida o longa

"Touro Indomável"

35ª Sessão (21/08/08)

Exibimos o curta "Contar dos Reis"




e o Longa "Jeca Tatu"

Veja trecho do filme:

Filmes de Ed Wood

Glen or Glenda



The Bride of the Monster Trailer 1955

Plano 9 do Espaço Sideral

Plan 9 From Outer Space é um filme trash do diretor Ed Wood, filmado em poucas semanas de 1956. Chegou aos cinemas americanos apenas em 1959. Contava no elenco com o lendário Bela Lugosi o qual faleceu antes mesmo do início da produção do filme, sendo as cenas nas quais ele aparece, produto de filmagens anteriores de Ed Wood. Além de Bela Lugosi, o elenco trazia os caricatos Vampira e Thor Jhonson em papéis de mortos-vivos trazidos de volta a vida por raios de pistolas alienígenas. O filme é tido como cult movie por muitos admiradores, mas sua fama veio apenas depois de ser aclamado como pior filme de todos os tempos.

Ed Wood não viveu o suficiente para ver o anti-sucesso de sua obra-prima, considerada para ele seu Cidadão Kane. Segundo o enredo, alienígenas trazem os mortos de volta a vida (seguindo o famoso plano 9 que dá título ao filme), com a intenção de fazê-los dominar os vivos. Isso evitaria a destruição de todo o sistema solar por uma bomba chamada solobonite, que, segundo os extraterrestes o homem desenvolveria em um futuro próximo, ameaçando assim todos os planetas.

Veja ao Trailer

Bela Lugosi

O mais jovem dos quatro filhos de um banqueiro, Bela Lugosi começou a sua carreira nos palcos da Europa em várias peças de William Shakespeare. Mas no entanto tornou-se famoso pelo seu papel de Drácula numa encenação da clássica história de vampiro de Bram Stoker, e teve como especialidade os filmes de horror.

Bela Lugosi fugiu de casa com 11 anos, abandonou a escola e engajou-se no trabalho de mineração. Na adolescência começou a atuar em pequenas companhias teatrais. O caminho mais comum o guiou do teatro para o cinema húngaro, atuando com o nome de Arisztid Olt. Porém, teve que interromper seu início de atividades no cinema graças à Primeira Guerra Mundial. Há boatos de que ele tenha sido ferido três vezes, assim causando sua futura dependência em morfina para aliviar as dores que seguiram por sua vida inteira. Há tambem uma versão que diz que ele conseguiu ser liberado do serviço se passando por louco.

Ao ser liberado do serviço militar, teve uma vida conturbada. Fez cerca de 12 filmes, casou-se pela 1ª de cinco vezes e saiu da Hungria por conta das suas opiniões políticas. Ele se refugiou na Alemanha, mas passou pouco tempo no país e foi para o país onde conseguiu alcança a fama: os Estados Unidos. Bela participou do teatro na comunidade húngaro-americana, e após algum tempo ganhou a oportunidade de interpretar Drácula numa adaptação teatral escrita por John Balderston.

Sua interpretação única e assustadora nesta peça foi que abriu as portas para seu estrelato no cinema. O diretor Tod Browing descobriu e o chamou para interpretar o vampiro em sua versão cinematográfica de Drácula. Este papel deu estrelato a Lugosi, mas ao mesmo tempo o marcou como "um ator de um só papel".

Bela fez vários outros filmes de horror,como também de outros gêneros. Dentre os de horror, merecem destaque Murdes In The Rue Morgue, The Raven, Mark of Vampire, dentre outros. Porém,o ator não conseguiu estabilidade no cinema, e passou a partir de meados da década de 30 a atuar em filmes baratos. Ainda conseguiu papéis bons como em Son of Frankenstein, The Ghost of Frankenstein, The Corpse Vanishes,etc... Porém, estereotipado como "Drácula", e seguindo o mesmo declínio do gênero na década de 40, no qual os monstros clássicos protagonizavam filmes em que se enfrentavam ou comédias, Bela ficou desempregado.

Foi descoberto por Ed Wood, que gravou alguns filmes com Bela (inclusive Ed Wood arcou com vários custos de internação de Bela, consumido pelo vício em morfina).

O último filme de Bela Lugosi foi Plan 9 from Outer Space, de Ed Wood. Porém Bela filmou somente uma semana, falecendo no dia 16 de agosto de 1956. Bela foi sepultado com o traje de Drácula (sendo este seu último desejo). Assim, o horror perdeu um de seus maiores ícones.

Mas Bela Lugosi continua vivo na memória dos fãs do gênero, tendo sido interpretado por Martin Landau, ganhador do Oscar por este papel, no filme "Ed Wood" de Tim Burton. Bela Lugosi sempre será o eterno Drácula das telonas, independente de ser esta associação seja positiva ou negativa.
especialidade os filmes de horror.

Ed Wood - O Pior Cineasta de Todos os Tempos



Edward Davis Wood, Jr. (10 de Outubro, 1924 - 10 de Dezembro, 1978) foi um produtor estadunidense de filmes de terror e ficção científica. Seus trabalhos se destacaram pela inventividade frente aos limitados recursos técnicos e orçamentários dos quais dispunha. Com efeitos especiais considerados um tanto quanto duvidosos no que diz respeito à qualidade, tinha cenas muitas vezes apresentadas de forma descontínua, o que evidencia que para este diretor a principal linguagem era a imagética e não a linearidade do assunto em questão, o que acabava por gerar, segundo muitos especialistas do gênero, planos peliculares sem um sequenciamento cronológico padrão e tramas que seguiam este mesmo molde. Ed Wood foi considerado por muitos críticos o "pior cineasta" de todos os tempos e do planeta inteiro. Apesar do descrédito por parte dos críticos de cinema, seus filmes acabam por manter um certo ar humorístico, contando hoje em dia com uma legião de fãs. Mantém seus maiores expoentes nos atores Bela Lugosi e Boris Karloff, que popularizaram e imortalizaram para o público cinematográfico personagens como o Conde Drácula; Frankenstein e outros.

O filme de maior sucesso de Ed Wood foi filmado em 1956 sob o título original de Plan 9 From Outer Space (Plano 9 do Espaço Sideral). Muitos adoradores do cinema trash o celebram como um clássico cult.

Filmografia

(A lista inclui também os que ele apenas escreveu ou roteirizou)

* The Streets of Laerdo (1948)
* The Sun was Setting (1951)
* The Lawless Rider (1952)
* Glen or Glenda? (1953)
* Crossroad Avenger: The Adventures of the Tucson Kid Boots (1953)
* Jailbait (1954)
* Bride of the Monster (1955)
* The Violet Years (1956)
* Plan 9 From Outer Space (1956)
* The Final Curtain (1957)
* The Night the Banshee Cried (1957)
* The Bride and the Beast (1958)
* Night of the Ghouls (1958)
* The Sinister Urge (1959)
* Shotgun Wedding (1963)
* Orgy of the Dead (1965)
* For Love of Money (1969)
* One Million AC/DC (1969)
* Operation Redlight (1969)
* The Photografer (1969)
* Take it Out Intrade (1970)
* The Under House (1971)
* Necromania (1971)
* The Undergraduate (1971)
* Class Reunion (1972)
* The Coctail Hostess (1972)
* Dropout Wife (1972)
* Fugitive Girls (1974)
* 12 Films for the Sex Education Correspondende School (1975)
* The Beach Bussiness (1976)

34ª Sessão (14/08/08)

Na nossa 34ª Sessão exibimos os curtas

Série - Microbiografias: Raico



e Jacktown Chan: O Treinamento das Pedras Sagradas

Exibimos também o filme "Planeta Vermelho"